Santiago (Chile): Informações Úteis

Santiago, capital do Chile, é a maior cidade do país e sua região metropolitana concentra cerca de 7 milhões de pessoas, mais de um terço de toda a população do País. O rio Mapocho corta a cidade e vários bairros turísticos situam-se perto do seu curso, como Las Condes, Vitacura, Providência, Bellavista e El Centro.

A cidade é limpa e os bairros são uma gracinha.

20141231_215912

CHEGANDO EM SANTIAGO…

Aeroporto- Hotel:

O aeroporto de Santiago fica em região afastada. Há três principais opções de transporte até o hotel:

– companhias de táxi

Funcionam 24 h e oferecem serviço compartilhado, mais barato. Contratamos a TransVip por CP$ 7.000/pessoa. Eles aceitaram dólares (ainda não tínhamos pesos). O transporte é feito em uma van, logo no desembarque do aeroporto. Roda pela cidade e deixa as pessoas perto dos hotéis.

No site há cotação de preços segundo o bairro ou cidade que você pretende ir. http://www.transvip.cl/. Procure por tarifas.

Observação: Uber funciona em Santiago.

–ônibus:
conhecemos duas empresas que fazem o trajeto aeroporto e principais terminais de ônibus (alguns integrados com metrô) em Santiago. São elas:

  • Turbus – ônibus saem dos Termonais:
    • Alamenda ( cada 20 minutos das 5h às 23h e após meia noite – a cada uma hora – 1h, 2h, 3h, etc – seg – dom);
    • São Borja (cada 1 hora das 06h45 até 20h30)
    • Pajaritos (cada 20 minutos das 6h20 até 22h50 de seg-sab, dom das 8:20 à 22h50);

Valores: CLP 1700 e CLP 2800 ida e volta. Verifique no site da companhia para pontos de compras e portas de saída:

https://www.turbus.cl/turbus/opencms/03_Aeropuerto/0303_Servicios_de_Buses/

  • Centropuerto
      • Metro Los Héroes – Aeropuerto  (05h55 – 22h30)
      • Aeropuerto (1º. Nível) – Metro Los Héroes (6h-23h30)

Ônibus a cada 10 – 15 minutos, condições podem variar dependendo do trânsito. Valores: só ida ou volta CLP 1700, ida e volta CLP 3000. Veja as paradas e atualizações no site oficial: http://www.centropuerto.cl/

Mais detalhes especificamente sobre transporte na cidade, veja item “TRANSPORTE” abaixo.

CLIMA E SAÚDE

Período em Santiago: 24 até 30 set. 2016 – final inverno início primavera. Temperaturas: frio de noite (12º C) e agradável durante o dia (20º C-26º C);

Pegamos sol todos os dias, o tempo ficou estável. O clima ameno de Santiago foi muito agradável e não trouxe dificuldades para a saúde. Você pode verificar as condições do tempo em Acuweather  http://www.accuweather.com/pt/cl/santiago/60449/september-weather/60449.

Cercada por altas montanhas, a cidade possui problemas para dispersar a poluição do ar. Não há fumaça no ar, mas sim aquela mancha cor de ferrugem no horizonte e há perda de visibilidade à distância. Em nosso curto período de estadia, não tivemos problemas de saúde por conta disso.

NOVATEK CAMERA
Parque metropolitano de Santiago

Quando fomos, era fim de outubro começo de dezembro então fazia fria a noite, mas não um frio de matar, um frio gostoso pra quem viver em São Paulo, não iria  estranhar. 

 

dscf3253
Centro de Santiago com seus 19º.

MOEDA E CÂMBIO

Chile: Pesos Chilenos (cotação aproximada estava R$ 5,00 = CP$ 1.000,00 – set. 2016) – não se iluda com tantos zeros, o custo de vida no Chile estava caro.

Levamos uma combinação de dólares e cartão de crédito internacional. Segundo recomendações de outros viajantes, perde-se menos na conversão de moeda forte para a moeda local.

Na área em que ficamos, centro de Santiago, perto da Plaza de Armas, foi fácil encontrar casas de câmbio. Um breve pesquisa de preços ajudou a encontrar um câmbio mais favorável, pois os preços variavam. As casas de câmbio no aeroporto tinham as cotações mais desfavoráveis.

Cartões de crédito visa e master eram bem aceitos.  Se o dinheiro acabar, há possibilidade de procurar casas de câmbio que aceitem cartão (havia uma em Santiago, porém com taxas mais caras) ou saque dinheiro com o cartão de crédito (aceito em determinados caixas eletrônicos – mas uma taxa salgada pode ser cobrada por operação).

Mas vão preparados pois a vida em Santiago pra mim não foi barata, achei tudo caro. Mas uma boa cotação favorece muito, pra mim cada centavo em Pesos Chilenos era valioso.

SEGURANÇA

Ficamos na parte central/turística. Nessa região, nós sentimos seguros. Há iluminação e policiamento (principalmente durante o dia). Porém, taxistas nos aconselharam evitar as áreas periféricas, pois seriam perigosas.

Algumas dicas de segurança:

  • procure ficar nas nas áreas turisticas da cidade;
  • carregue a cópia dos seus documentos e deixe os originais em local seguro;
  • use uma “doleira” quando não puder deixar o dinheiro em local seguro (doleira é aquele bolso escondido preso na cintura);

Segue informação do Consulado do Brasil ( de 11 nov.2016): “O Consulado vem recebendo, todo mês, dezenas de turistas brasileiros vítimas de furto de documentos de viagem. Segundo relatos desses turistas, os furtos se concentram nas cidades de Santiago, Valparaíso e Viña del Mar.

Em Santiago, registram-se ocorrências principalmente no metrô, no centro da cidade (proximidades da Plaza de Armas), no bairro boêmio Bella Vista, e também em “shoppings centers”. Em Valparaíso, as ocorrências se concentram na área do porto e nos arredores do “Cerro Alegre”, local de grande afluxo de turistas. Em Viña del Mar, a distração em restaurantes e ao longo da orla, sobretudo junto ao “Reloj de Flores”, tem gerado ocorrências.

Para maiores informações, consulte: http://cgsantiago.itamaraty.gov.br/pt-br/furto_ou_extravio_de_documentos.xml

Há mais dicas interessantes em relação a segurança aqui: http://nosnochile.com.br/8-motivos-para-ficar-atento-em-santiago-do-chile-e-evitar-perrengues/

 

  • Terremotos

O território do Chile ocupa uma das áreas mais sísmicas do planeta. Do meio do ano de 2016 para cá (11 nov) ocorreram seis terremotos no País, apesar do pânico que alguns provocaram, não tiveram consequências graves.

Ao passearmos por Santiago ( e por outros destinos do Chile) ficamos tranquilos, pois percebemos  um clima de tranquilidade no ar, moradores e turistas seguem seus afazeres numa boa, então resolvemos curtir a viagem.  Além disso, as chances de ocorrer um terremoto bravo, bem na hora que estavámos lá, são muito pequenas.

TRANSPORTE

A região em que ficamos, centro, perto da Plaza de Armas, é bem servida com metrô, ônibus (não usamos) e Uber.

Metrô: foi nosso principal meio de transporte para turismo no centro da cidade. O Metrô de Santiago é bem ramificado, permitindo o rápido acesso a pontos de interesse de visitação. Ele foi rápido, limpo, seguro e confortável. Mesmo em horários de pico, não estava muito cheio. Existem três tipos de preço/passagem, dependendo do horário da viagem.

Expediente: www.metrosantiago.cl.

Trânsito: o transito flui em Santiago, porém, na hora de pico há congestionamentos, evite trafegar de carro esse horário, principalmente no centro. Determinado dia da semana, por volta de 18h-19h pegamos um congestionamento horrível em uma das principais avenidas do centro, a Av. Prof Presidente Bernardo O`Hiigs. Apesar disso, as rodovias de acesso a Santiago fluíam bem.

CUSTO DE VIDA

Achamos o custo de vida turístico caro em Santiago. Principalmente a parte de refeições. No momento o real estava desvitaminado. Para efeito de comparação: lata de coca cola saia por R$15,00. Um almoço em local bacana, nada de luxo ou sofisticação, para duas pessoas saia por R$ 150,00. Mesmo lanches em locais simples, algo como hambúrguer ou hot dog e refrigerante saia por uns R$ 50 por pessoa. Deve existir uns mochileiros ninja que acham preços bem em conta, porém, não foi nosso caso: (

O cartão de crédito Visa (creio que para o Master seria a mesma coisa), foi bem aceito em todos os estabelecimentos. Não se esqueça de desbloquear seu cartão para uso no exterior.

Leve carteira de estudante internacional, em Santiago, ela rendeu descontos ao comprar entradas para espetáculo de balé no Teatro Nacional e no Buin Zoo.

COMUNICAÇÃO DE INTERNET

As principais operadores de celular 3G e 4G no Chile são Claro, Entel e Movistar.

Por oportunidade mesmo compramos o chip pré pago da Claro. É preciso que seu celular seja desbloqueado (pode usar chip de diferentes operadoras). Foi fácil encontrar chips e locais de recarga. Gente pra mim qualquer internet estava ótima.

Foi possível utilizar o chip sem cadastrar o RUT (espécie de RG chileno). Ignoramos essa solicitação. Apenas abastecemos o pré pago e escolhemos um plano no site da Claro. O chip permite o acesso a esse site de escolha de planos.

O sinal foi bom e rápido por todo os lugares do Chile que passamos: Santiago, Cajón del Maipo, Valparaíso e San Pedro de Atacama.

HOTEL

Ficamos no Downtown Santiago Santa Lúcia (Bernardo O’Higgins 723 Departamento 36, Centro de Santiago, 8320261 Santiago, Chile). Reservamos pelo Booking, com a possibilidade de cancelamento grátis até três dias antes da chegada. Não é um hotel, é um apto alugado diretamente com proprietário.

O Downtown Santiago é um charmoso apto alugado diretamente com proprietário. Diária foi USD 37,00, porém pagamento somente em dinheiro (Dólares ou pesos chilenos).

Pontos fortes: preço baixo, localizado perto do centro, facilidade de acesso ao metrô. Apartamento é bonito, confortável, tem internet rápida, quarto, sala, cozinha e banheiro.

Pontos fracos: prédio antigo e visualmente feio por fora. A água é aquecida por gás. Não sei se é por causa disso, mas ela acaba e fica fria. Mas deu tranquilamente para o banho quente de duas pessoas. A água só não era suficiente para usar a banheira. Eu voltaria a me hospedar ali, as vantagens mais que compensam as desvantagens.

IVA: fuja dos impostos. Provavelmente o valor que você reservou o hotel não incluiu o imposto chileno sobre valor adicionado chamado IVA. Esse imposto de 20% sobre o valor da compra não será cobrado de você, amigo turista, se você fizer o pagamento em dólares ou cartão de crédito internacional.

Para maiores dicas sobre sites de seleção de hotel, veja nosso tópico “Preparação”

REGIÃO DE HOSPEDAGEM

Ficamos em uma região conhecido como El Centro, área central da cidade, perto da Plaza de Armas, dos principais pontos turísticos urbanos e dos bairros badalados (bares e restaurantes). Essas áreas foram facilmente acessadas por caminhada. A área também é bem servida com metrô e ônibus e táxi.

Ë isso aí pessoal, próximo tópico: passeios na região urbana de Santiago

 

Anúncios

Um comentário sobre “Santiago (Chile): Informações Úteis

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s